dimanche 11 novembre 2012

11 de novembro: Dia do Armistício, comemoração da paz européia



11 de Novembro é fériado civil na França. Ele comemora o Dia do Armistício da Primeira Guerra Mundial, em 11 de novembro 1918.

Hoje, 11 de novembro 2012, é a comemoração do 94e aniversário do Armistício 1918. Pela primeira vez, François Hollande  homenageou "todos que morreram para a França", cercado por dois filhos de soldados mortos em combate no Afeganistão.   

O 11 de Novembro comemora o Armistício assinado em 1918 entre os Aliados e o Império Alemão  pelo fim das hostilidades na Frente Ocidental. O Armistício  foi assinado dentro de um vagão-restaurante, em Rethondes, na floresta de Compiègne. O qual teve efeito às 11 horas da manhã — a "undécima hora do undécimo dia do undécimo mês".
Os principais signatários foram o Marechal Ferdinand Foch, comandante-em-chefe das forças da Tríplice Entente, e Matthias Erzberger, representante alemão.


Seguiu-se ao armistício o tratado de paz de Versalhes, celebrado em 1919, segundo o qual, a Alemanha, derrotada, era obrigada a:
- reduzir as suas tropas pela metade
- pagar pesadas indenizações aos países vencedores
- ceder todas as suas colônias
- restituir a Alsácia-Lorena à França. 
Apesar de esta data oficial ter marcado o fim da guerra, refletindo no cessar-fogo na Frente Ocidental, as hostilidades continuaram em outras regiões, especialmente por entre o Império Russo e partes do antigo Império Otomano.

O dia 11 de novembro tornou-se o dia da lembrança em homenagem aos soldados, desde 1920, quando a República francesa prestou pela primeira vez homenagem a um soldado desconhecido morto durante a Grande Guerra, representante anônimo da heróica multidão de “Poilus”.


Inauguração do monumento aos mortos para a França em Rosendaël- Dunkerque- 1925
No dia 11 de novembro 1984 em Douaumont perto de Verdun, o presidente francês François Mitterrand e a chanceler alemã Helmut Kohl  homenageram juntos aos mortos da guerra  de 1914-1918. Depois de ouvir o hino nacional alemão, François Mitterrand e Helmut Kohl foram de mãos dadas enquanto a banda militar tocou "La Marseillaise".

 

O último soldado francês da Primeira Guerra Mundial, Lazare Ponticelli, morreu em 2008 com a idade de 110. O último "Peludo" (Poilu), um australiano, morreu em 2011. 
Lugares de memória, como os monumentos aos mortos e muséus,  asseguram a transmissão da a memória de um conflito que já matou 10 milhões de militares, incluindo 1,4 milhão soldados franceses. Alguns lugares são abandonados, e as autoridades locais esperam muito do centenário da Grande Guerra, em 2014.
Monumento aos mortos para a França de Dunkerque- Inaugurado em 1935

No dia 11 de novembro 2011, Nicolas Sarkozy, anunciou a apresentação de um projeto de lei para tornar o aniversário do armistício "data de comemoração da Grande Guerra e de todos os que morreram para a França." Em 20 de Fevereiro 2012, o Parlamento aprovou a lei, no entanto, afirmando que "esta homenagem não substitui outros dias de comemoração nacional". O aniversário do armistício foi a oportunidade de uma controvérsia  sobre a organização da comemoração do centenário da Primeira Guerra Mundial, a partir de 2014. O governo anunciou em outubro a criação de uma missão interministerial envolvendo em particular o centésimo aniversário do inicio da primeira guerra mundial em 1914 e o septuagésimo aniversario do desembarque dos Aliados e da libertação da França em 1944.

Muitos nos lembram que o dia 11 de novembro marcou o fim de uma guerra terrível na Europa, mas também provocou sanções insuportáveis para a Alemanha, o que levou à queda da República de Weimar e a ascensão de Hitler. Pacifistas e federalistas europeus propõem a substituição  do 11 novembro por um dia de comemoração da paz europeia e das todas as vítimas de guerra

Para saber mais:

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire